7 dicas para otimizar os custos da nuvem

7 dicas para otimizar os custos da nuvem post image

Uma das principais vantagens da migração para a nuvem é a possibilidade de reduzir os custos, mantendo-se competitiva e acessível. A flexibilidade de um ambiente de computação em nuvem pago conforme o uso permite que as empresas aumentem ou diminuam facilmente os seus recursos para satisfazer a procura e exercer um melhor controlo sobre as suas despesas operacionais. No entanto, há sempre espaço para a eficiência financeira nos negócios. Por isso, vamos falar de dicas para a otimização dos custos da nuvem.

O que é a otimização dos custos da nuvem?

A otimização da nuvem é uma abordagem estratégica que combina técnicas, melhores práticas e ferramentas para minimizar os custos da nuvem e, ao mesmo tempo, maximizar o seu valor. O objetivo é encontrar a forma mais rentável de utilizar os seus recursos de computação em nuvem, obtendo uma melhor compreensão do seu desempenho atual. Desta forma, torna-se mais fácil identificar as ineficiências para eliminar o desperdício e tirar partido das muitas possibilidades que os serviços na nuvem oferecem.

Precisa de otimizar os custos da nuvem?

De acordo com um estudo da Flexera, as organizações desperdiçaram cerca de um terço dos seus gastos com a nuvem em 2022 (32% das suas despesas), sendo que muitas acreditam que avaliar esta questão é o seu maior desafio em termos de computação em nuvem. No entanto, o estudo também mostra que, no último ano, os gastos desperdiçados foram reduzidos, enquanto a utilização da nuvem continua a aumentar. Este é, de facto, o resultado dos esforços dos proprietários de empresas para implementar técnicas de otimização dos custos da nuvem.

A otimização dos custos da nuvem é mais do que apenas uma tarefa anual destinada a reduzir as despesas excessivas com recursos da nuvem. Tem de se tornar uma cultura da empresa, uma estratégia contínua que ajude a alinhar os seus objectivos comerciais com os seus custos para obter maiores receitas e competitividade. Ao controlar os custos das suas operações na nuvem e compreender a sua rentabilidade, pode fazer ajustes baseados em dados para aumentar o desempenho e, ao mesmo tempo, reduzir potencialmente as despesas.

As vantagens da otimização dos custos da nuvem

1. Aumentar a visibilidade e a previsibilidade

Um dos primeiros passos na otimização dos custos da nuvem é saber onde está a gastar desnecessariamente. Mas isto vai além de saber quanto gasta em média nos seus serviços de nuvem, pois também envolve a análise das despesas por cliente, equipa, produto, serviço, funcionalidade de software ou projeto. Obter este conhecimento é fundamental para alinhar a sua tecnologia com os seus objectivos comerciais e identificar tendências que possam ajudá-lo na previsão e no planeamento estratégico da sua utilização da nuvem.

2. Redução das despesas

Depois de estabelecer os factores que influenciam as suas despesas com a nuvem, pode agora definir uma estratégia para as reduzir. Pode optar por eliminar uma despesa (quer se trate de um produto que oferece ou de uma funcionalidade da nuvem que está a pagar) se não for totalmente rentável; pode também repensar e melhorar essa despesa para que volte a ser útil.

A otimização dos custos da nuvem também convida a uma melhoria da afetação dos custos. O dinheiro que está a gastar numa determinada área da sua empresa pode ser melhor utilizado num departamento ou projeto diferente

3. Melhorar os seus ganhos

As estratégias de otimização de custos na nuvem colocam tanta ênfase na descoberta de onde está a perder dinheiro como em onde e como está a ganhar dinheiro, podendo também fornecer informações sobre os seus concorrentes. Estas informações podem ajudá-lo a encontrar novas fontes de rendimento que talvez não conhecesse e ajudá-lo a aperfeiçoar as suas campanhas de marketing.

4. Melhorar o desempenho e a produtividade

Libertar recursos de serviços e projectos na nuvem pouco eficazes ou impopulares significa que pode agora dedicar esses fundos a tarefas, equipas e produtos com melhor desempenho, melhorando o seu desempenho

7 dicas para otimizar os custos da nuvem

A gestão eficaz dos custos da nuvem envolve uma série de acções e estratégias que abordam as diversas questões associadas à computação em nuvem. As sete dicas seguintes para a otimização dos custos da nuvem dar-lhe-ão uma ideia de como começar

1. Dimensione corretamente os seus serviços (nota: serviços de escalonamento automático)

Não é invulgar que as empresas que utilizam a nuvem acabem por pagar mais recursos do que realmente necessitam. O dimensionamento correto é a prática de rever os seus serviços informáticos e modificá-los para se adaptarem às suas necessidades únicas e reais em termos de carga de trabalho e aplicações. Isto deverá melhorar o desempenho, bem como as despesas, mas não é uma tarefa fácil de efetuar manualmente. É possível dimensionar corretamente os servidores em termos de memória, base de dados, gráficos, armazenamento e muitas outras opções, o que resulta num número incrível de combinações a considerar.

Felizmente, existem muitas ferramentas de dimensionamento correto que lhe podem dar uma ideia de como escolher a combinação certa. Mas antes de começar a dimensionar corretamente os seus serviços na nuvem, considere as seguintes sugestões:

  • Compreender os seus volumes de trabalho: avaliar os seus volumes de trabalho, requisitos e padrões de utilização é fundamental para determinar onde deve ser feito o dimensionamento correto. Pode utilizar mapas de calor (uma representação gráfica da utilização informática da sua empresa) para localizar onde fazer ajustes.
  • Experimente as configurações: teste diferentes tipos e tamanhos de instâncias para encontrar a configuração ideal para as suas cargas de trabalho.
  • Implementar o balanceamento de carga: o balanceamento de carga distribui uniformemente as cargas de trabalho por um grupo de servidores backend para evitar a sua sobreutilização ou subutilização.

Não se esqueça de que o dimensionamento correto pode ser acompanhado pelo dimensionamento automático (ajuste automático da quantidade de recursos informáticos com base nas suas necessidades). Embora as ferramentas de redimensionamento automático façam normalmente um excelente trabalho ao determinar as necessidades em tempo real, sem uma monitorização constante podem ficar fora de controlo. Se optar por uma solução de redimensionamento automático, não se esqueça de rever periodicamente a sua utilização, para o caso de necessitar de ajustar novamente o tamanho.

2. Identificar os recursos não utilizados

Ocasionalmente, pode acontecer que os administradores e os programadores se esqueçam de desprovisionar um servidor temporário depois de terminarem a tarefa que realizaram com ele. Os recursos da nuvem subutilizados ou utilizados de forma ineficaz resultam em custos adicionais sem realmente acrescentar qualquer valor ao negócio. Identificar estes recursos não utilizados para os eliminar é um dos processos mais eficientes numa estratégia de otimização dos custos da nuvem.

Monitorizar regularmente a sua utilização é o primeiro passo, e é algo que pode ser feito automaticamente com ferramentas de monitorização da nuvem que o alertam quando um determinado recurso ou aplicação mostra uma atividade insignificante durante um período de tempo. Pode então decidir se quer livrar-se desses recursos subutilizados ou melhorar a sua eficiência de alguma forma

3. Controlar as anomalias de custos

Os eventos imprevistos de custos da nuvem são conhecidos como “anomalias de custos”. Detectá-los atempadamente é essencial não só para evitar facturas inesperadamente mais elevadas, mas também porque podem ser o sinal de alguma questão interna, desde problemas de infra-estruturas a potenciais ciberataques.

Uma consola de gestão de custos para definir orçamentos e prever custos pode ajudá-lo a detetar e identificar anomalias nas despesas. Só depois de determinar a raiz da anomalia é que poderá resolver o problema e evitar os custos inesperados que lhe estão associados. Felizmente, a sua consola de gestão de custos pode normalmente identificar as anomalias por si própria e notificá-lo caso as encontre.

4. Escolher a opção de armazenamento correcta

Escolher o tipo e o tamanho de armazenamento correctos para as necessidades da sua empresa é crucial para melhorar o desempenho, e não apenas para evitar pagar demasiado por serviços não utilizados. Mas para escolher o armazenamento correto, é necessário saber que os fornecedores de serviços na nuvem oferecem normalmente duas opções principais de armazenamento:

  • ·Armazenamento de objectos: ideal para dados não estruturados e de acesso pouco frequente, como dados de cópia de segurança ou de arquivo. É uma boa escolha para indústrias com grandes volumes de dados, multimédia ou arquivos de correio eletrónico, funcionando quase como uma biblioteca de dados históricos online, uma vez que são altamente escaláveis.
  • Armazenamento em bloco: a melhor opção para aplicações empresariais e bases de dados. É definido pela sua velocidade, fiabilidade e desempenho, o que o torna ideal para dados estruturados que requerem actualizações regulares.

Isto deve dar-lhe uma ideia melhor do tipo de armazenamento a escolher em função do desempenho e dos requisitos de acesso dos seus dados. Este é provavelmente o ponto de partida para qualquer estratégia de otimização de custos relacionada com o armazenamento na nuvem. Mas mesmo estes dados podem ser dinâmicos: o que antes era mantido como armazenamento em bloco pode, a dada altura, tornar-se obsoleto e, por conseguinte, ser transferido para um nível de armazenamento mais económico. Por último, como sempre, é importante rever e limpar periodicamente o armazenamento na nuvem de dados desactualizados.

5. Utilizar a monitorização em tempo real

A utilização da análise em tempo real dar-lhe-á os conhecimentos necessários para identificar atempadamente oportunidades de redução de custos e anomalias nas despesas. E, uma vez detectadas, é possível resolver ineficiências e reduzir despesas desnecessárias. Algumas das métricas que deve monitorizar são:

  • Utilização da memória: reveja periodicamente a sua utilização da memória para garantir que as suas instâncias continuam a ter a dimensão correcta para as suas cargas de trabalho;
  • Utilização da CPU: descubra instâncias sobreutilizadas ou subutilizadas através da monitorização da utilização da CPU.
  • Utilização do armazenamento: acompanhar o seu armazenamento e limpar regularmente os dados desactualizados ajudá-lo-á a certificar-se de que não está a pagar por espaço de armazenamento desnecessário.
  • Tempo de atividade da instância: as instâncias subutilizadas podem ser desligadas quando não estão a ser utilizadas; o acompanhamento do tempo de atividade pode ajudá-lo a identificá-las.
  • Tráfego de rede: a monitorização do tráfego de rede pode ajudá-lo a gerir as despesas de transferência de dados associadas à elevada utilização da rede.
  • Taxas de erro: taxas de erro elevadas podem ser o primeiro sinal de problemas mais dispendiosos. Analisar a raiz dos erros para os resolver rapidamente permite-lhe poupar dinheiro a longo prazo.

6. Considerar a utilização de estratégias de nuvem única ou de várias nuvens

Uma estratégia multi-nuvem apresenta muitas vantagens. No que diz respeito à otimização dos custos da nuvem, a principal é a possibilidade de capitalizar os pontos fortes dos serviços de diferentes fornecedores. Uma vez que cada fornecedor tem as suas próprias tarifas para serviços específicos, uma estratégia multi-cloud significa escolher as melhores e mais económicas soluções para si, aumentando simultaneamente a flexibilidade e evitando a dependência do fornecedor.

No entanto, a mudança constante entre plataformas de nuvem pode tornar-se um incómodo e exigir formação adicional e assistência de TI, para além de potenciais problemas de integração. Para além disso, não poderá usufruir de descontos em compras de grandes volumes, como acontece quando compra todos os seus serviços ao mesmo fornecedor.

Tanto as estratégias de nuvem única como as de várias nuvens têm as suas vantagens e desvantagens. Sugerimos que explore ambas as possibilidades para ver como se podem adaptar aos seus objectivos comerciais e, essencialmente, ajudá-lo a otimizar os seus custos de computação em nuvem.

7. Otimizar os custos da nuvem em qualquer fase

A otimização dos custos deve ser um esforço contínuo e fazer parte da sua cultura empresarial. No que diz respeito à otimização dos custos da nuvem, esta deve ser integrada em todo o ciclo de vida do desenvolvimento de software (SDLC). Por outras palavras, deve rever e otimizar as suas despesas em todas as fases de desenvolvimento para maximizar o ROI da nuvem. Eis como o fazer, fase a fase:

  • Planeamento: identifique os recursos da nuvem de que vai precisar, bem como dados históricos para prever padrões de utilização, para comparar as opções mais rentáveis para projectos de desenvolvimento.
  • Desenvolvimento: o desenvolvimento deve ser efectuado tendo em conta a relação custo-eficácia. Concentrar-se na criação de aplicações leves e escaláveis.
  • Testes: considere a utilização de instâncias pontuais para ambientes de teste menores ou utilize testes automatizados para acelerar o processo. Remova sempre os recursos temporários quando deixarem de ser úteis.
  • Implementação: a automatização dos processos de implementação pode ajudá-lo a reduzir os erros e o tempo de utilização dos recursos.
  • Monitorização: configure alertas de monitorização em tempo real para identificar e resolver prontamente utilizações invulgares de recursos. Utilize o escalonamento automático para adaptar eficazmente os seus recursos às suas necessidades.
  • Manutenção: programe revisões regulares das suas aplicações e recursos, mesmo quando não estão a ocorrer eventos significativos, e elimine tudo o que já não é necessário
  • Actualizações: teste novas actualizações de software em instâncias mais pequenas antes de as instalar para evitar o custo de erros em instâncias de produção maiores.

Simplificar a migração para a nuvem

Entre as muitas vantagens da mudança para a nuvem, a possibilidade de manter o controlo das suas despesas, automatizando simultaneamente as acções de monitorização e escalabilidade, é provavelmente uma das mais relevantes atualmente. Com a Internet das Coisas a fazer parte da nossa sociedade, as empresas de sucesso têm de estar sempre acessíveis aos seus clientes, proporcionando ao mesmo tempo um ambiente seguro para as suas transacções e dados.

Garantir esta disponibilidade constante e segura é uma parte integrante da nuvem. Mas é você e a sua equipa que devem garantir que contratam as funcionalidades e os serviços correctos para a sua empresa e que os utilizam de forma eficiente para maximizar o ROI da sua nuvem. Não podemos dizer-lhe como utilizar os seus serviços na nuvem, mas podemos ajudá-lo a tomar a decisão certa quando procura o fornecedor de serviços na nuvem mais rentável para a sua empresa.

Na YourShortlist, simplificamos o processo de migração para a nuvem, para que não perca tempo nem dinheiro com isso. Depois de ouvirmos os seus requisitos específicos, fornecemos orientações sobre como escolher a solução de nuvem mais adequada para a sua empresa. Também compilamos uma lista dos nossos parceiros de TI reconhecidos que correspondem aos seus requisitos, para que não tenha de passar dias ou semanas a comparar fornecedores por si próprio.

Se a sua empresa ainda não está na nuvem, ou se está a pensar mudar de fornecedor, não há melhor altura para iniciar o processo do que hoje. Contacte-nos e descubra como pode ser fácil o seu processo de implementação da nuvem com a equipa certa de especialistas ao seu lado.